Login | SITEMAP | FAQS

Science & Society | News | O PT-OPENSCREEN aumenta consideravelmente as possibilidades de colaborações em projetos e fundos internacionais

O PT-OPENSCREEN aumenta consideravelmente as possibilidades de colaborações em projetos e fundos internacionais

António Pombinho é o rosto de um consórcio que quer estabelecer uma plataforma de contacto com a comunidade científica internacional – mas não sem antes unir a comunidade nacional. O PT-OPENSCREEN é o projeto ambicioso de ligação entre várias instituições académicas nacionais de química e biologia, na qual o ICVS está inserido desde o seu início.

 

O que é o PT-OPENSCREEN?

 

O PT-OPENSCREEN é um consórcio que faz a ligação entre instituições académicas nacionais de química e biologia com a ambição de descobrir novos compostos químicos, com novas actividades biológicas e com potencial terapêutico. Através da miniaturização das amostras, usando tecnologia de ponta, centenas de milhares de compostos são testados nos mais diversos ensaios biológicos de forma rápida e com baixos custos.

Mais especificamente, o PT-OPENSCREEN tem como objectivos fazer a ligação entre àreas tradicionais de pesquisa como a biologia celular, molecular e estrutural, e a química orgânica e medicinal;gerir uma infraestrutura para a investigação básica e aplicada na área de química biológica e genética e fornecer livre acesso aos utilizadores;construir uma biblioteca de compostos químicos produzidos por investigadores nacionais; e coordenar a participação portuguesa na infraestrutura europeia EU-OPENSCREEN, assegurando o acesso à biblioteca europeia de 140.000 compostos.

 

Qual a mais valia para o sistema cientifico nacional desta rede?

 

Apesar de se terem verificado avanços significativos na química biológica nos últimos anos, há um considerável atraso nas instituições de investigação e universidades nacionais e neste momento não existe nenhuma instituição pública ou privada dedicada às fases iniciais da descoberta de fármacos em Portugal.

 

Esta ciência multidisciplinar irá beneficiar do estabelecimento de uma infraestrutura equipada para a realização de ensaios de rastreio de alto rendimento, que por sua vez irá contribuir para a competitividade das instituições participantes no consórcio e dos seus utilizadores. Formação terá de ser fornecida aos cientistas para operarem a tecnologia de ponta necessária para a realização destes ensaios, melhorando as suas qualificações e perspectivas de carreira.

 

O elevado carácter translacional dos resultados produzidos pelo PT-OPENSCREEN facilitará o recrutamento de utilizadores não só académicos, mas também privados, desde PMEs a grandes companhias, dos sectores farmacêutico, biotecnológico e agroquímico. A estratégia de co-desenvolvimento do PT-OPENSCREEN, com parceiros nacionais e internacionais oriundos da academia, da indústria e das clínicas, baseada no conhecimento e ferramentas químicas e biológicas existentes no país e na utilização de equipamentos de última geração, tornará Portugal muito competitive nas ciências da vida a nível europeu e dará uma vantagem competitiva aos cientistas nacionais.

 

Tudo somado, é expectável que este projecto produza um forte impacto positivo na participação de instituições do sistema científico nacional em projectos e redes internacionais, como o EU-OPENSCREEN, e na produção nacional de artigos científicos e patentes.

 

Quais as vantagens da integração do PT-OPENSCREEN na plataforma Europeia?

 

Existem muitas vantagens em Portugal aderir ao EU-OPENSCREEN. Entre outras, esta infraestrutura europeia fornece,aos seus estados membro, acesso previligiado a bibliotecas de compostos únicas,a bases de dados, a protocolos para adaptação de ensaios e a instalaçõ esequipadas com equipamentos de ponta para efectuar os rastreios e melhoramento dos compostos identificados, em vários países da Europa, em regime de acesso livre.

 

Por outro lado, após a adesão de Portugal,as capacidades das instituições participantes no PT-OPENSCREEN serão divulgadas a nível europeu, aumentando consideravelmente as possibilidades de atração de colaborações em projectos e fundos internacionais. Muitos dos melhores cientistas académicos europeus em química biológica, mais especificamente nas fases iniciais da descoberta de novos fármacos, integram o EU-OPENSCREEN e estão na linha da frente dos avanços científicos e tecnológicos nesta área a nível mundial. O contacto próximo com esta infraestrutura é muito importante para Portugal poder também seguir um caminho de excelência nesta área que tem um enorme potencial translacional.

 

De que forma irá a FCT apoiar esta iniciativa?

 

A FCT tem acompanhado de perto o estabelecimento do PT-OPENSCREEN e apoia a sua missão de organização da comunidade nacional de investigação em química biológica e a cooperação com parceiros europeus. As cotas a pagar para Portugal se tornar membro do EU-OPENSCREEN são consideradas despesas elegíveis pela FCT para as instituições,pelo que a adesão depende somente da capacidade destas se organizarem. Muito recentemente, por decisão do conselho diretivo da FCT, o PT-OPENSCREEN foiconvidado a preencher um questionário dirigido às infraestruturas de investigação para avaliação do seu estado de maturidade. Esperamos muito em breve ter um resultado positivo que leve à integração do PT-OPENSCREEN no roteiro nacional de infraestruras de interesse estratégico e à possibilidade de concorrer a fundos para a construção de uma infraestrutura que se possa tornar uma referência a nível europeu.


Copyright © 2012-2016 ICVS. All rights reserved.